A Fisioterapia na Estimulação do Desenvolvimento Infantil


Conjunto de ferrovia

Ao nascer, o bebê passa por uma série de etapas, os marcos do seu desenvolvimento neuropsicomotor que, didaticamente, são esquematizadas em meses, podendo haver pequenas variações. O primeiro dos marcos é o controle motor dos olhos e da cabeça na linha média, seguido por outros movimentos “intencionais”, como controle do pescoço e tronco superior e inferior, rolar, sentar, engatinhar e andar.


As funções voluntárias substituem algumas reações e reflexos primitivos, isto é, são substituídos por ações intencionais, como o alcance dos objetos, brincar, se deslocar pelo ambiente, e permanecendo alguns reflexos, por se tratarem de mecanismos de proteção. A partir das necessidades da criança e da sua interação com o meio, ela se desenvolverá, e para que isso aconteça, é importante que haja estímulos desde o nascimento, que podem ser facilitados em algumas posições e com algumas atividades.


Algumas crianças podem apresentar atraso nestas etapas do desenvolvimento, ou por não favorecimento em relação aos estímulos e interações em seu meio familiar, ou por alguma condição patológica, que pode ser de origem genética, adquirida durante o período gestacional, peri-natal, que é durante o parto, ou após o parto. Ao se desconfiar de um atraso, é indicada uma avaliação com o pediatra ou neuropediatra a fim de certificar sua existência ou não, e se está associado a alguma doença.


No caso dos bebês com atraso do desenvolvimento neuripsicomotor, a fisioterapia irá atuar através de uma avaliação detalhada do desenvolvimento infantil, desde a anamnese, que trata da história que precede o nascimento até o momento da consulta, seguido de uma avaliação física, para verificar em que idade motora o bebê está. A partir de então, o acompanhamento da fisioterapia visa estimular e orientar os pais em relação ao desenvolvimento do bebê, através de estímulos motores e sensoriais, utilizando de atividades lúdicas e posições que favoreçam e estimulam a criança a se desenvolver, respeitando sempre a etapa a qual o bebê se encontra, até que este alcance sua idade motora de forma tranquila e o mais prazerosa possível.


Caso haja dúvida, procure um profissional da saúde que possa fazer uma avaliação do desenvolvimento infantil, e se necessário, o encaminhará para o profissional habilitado, seja para o diagnóstico ou reabilitação.

Saiba mais...