Dor: sintoma e informação!


10957675_528118227330929_6676960897902744516_n.jpg

Você já parou para pensar que a dor, apesar de ser desconfortável, tem um papel fundamental, o de informar? Sim, a dor, além de ser um sintoma, é uma "pista", que pode nos indicar algum mecanismo patológico em um dos nossos sistemas do corpo.

Algumas dores são de origem idiopática, que não tem causa conhecida, ou pelo menos não descoberta num primeiro momento, e nesses casos, opta-se por tratar primeiramente o sintoma. Porém, muitas vezes, a causa da dor é pouco explorada, ignorando a tal "pista", e perde-se a oportunidade de procurar sua causa e, consequentemente, perde-se a oportunidade do tratamento ser realmente eficiente.

Frequentemente a fisioterapia é indicada com o objetivo de tratamento da dor, como na coluna e articulações, sendo algumas facilmente associada a atividades laborais ou traumas diretos e recentes, porém, em alguns casos, o paciente não faz associação da "sua dor" com outro período da vida, traumas antigos, como acidentes, fraturas, quedas, etc. Por isso, além de uma avaliação detalhada, é importante valorizar alguns sintomas que vierem a aparecer durante o tratamento, pois nesse período podemos mexer em mecanismos de defesa e de adaptação do corpo (compensações), tirando o corpo da sua "zona de conforto", e isso, apesar de incômodo para o paciente, pode nos ajudar na associação da dor com alguma disfunção biomecância, seja na região referida da dor ou mesmo distante dela. Ou seja, no caso de dor, é importante o tratamento para alívio imediato e melhora da qualidade de vida, porém, um estudo do corpo, sua postura e a qualidade do seu movimento são pontos importantes para manter a qualidade de vida e evitar que o problema volte a incomodar no futuro.

Saiba mais...